Tendências para o mercado varejista 2021: o que esperar?

Sem dúvidas, o ano de 2020 foi um dos anos mais desafiadores para os varejistas não só no Brasil mas no mundo. Afinal, a pandemia do coronavírus obrigou o mercado do varejo a passar por diversas mudanças e atender a várias exigências em um curto espaço de tempo. Essas mudanças impostas impactaram diretamente no comportamento do consumidor, e muitas empresas perceberam a necessidade de se adaptar a essas mudanças para continuar lucrando. Assim, criando novas tendências para o mercado varejista em 2021.

Em contrapartida, agora já é possível analisar o quanto isso impactou a mente dos consumidores e como deve continuar impactando a curto, médio e longo prazo. A situação do varejo no Brasil após a crise causada pelo coronavírus ainda é incerta, mas sabemos que algumas mudanças profundas serão necessárias e que muitas delas envolveram a tecnologia.

O ano de 2020 está em sua reta final,  é tempo de pensar em objetivos e metas para 2021. Por isso, separamos algumas tendências e inovações no varejo brasileiro.

Omnichannel

Desde já, a expressão omnichannel em sua tradução literal significa “todos os canais”. Igualmente, ele é uma das tendências de marketing para o varejo que tem como estratégia principal unir todos os atendimentos de uma empresa (on-line e offline) visando melhorar a experiência do usuário. 

Há diversas formas de aplicar a integração de canais.

Em geral, não se trata apenas de ter uma loja física ou online, mas de liderar esforços nas duas áreas como parte de uma só estratégia. O omnichannel leva em consideração, por exemplo, que o cliente pode querer fazer suas compras pelo computador, celular ou até mesmo na loja física. Podendo, inclusive, comprar pela internet e retirar na loja e que isso pode ocorrer a qualquer hora e lugar.

Entendendo esse comportamento fica fácil enxergar que , o virtual e o físico não são concorrentes, mas integrados em um único sistema. Portanto, ser um varejista omnichannel significa criar as condições para que o  consumidor faça a compra quando desejar e da forma que desejar.

Customização

Com a forte concorrência no comércio eletrônico, a alternativa adotada pelos varejistas foi oferecer ao seu público a possibilidade de personalizar o produto que deseja comprar. Uma iniciativa que, em geral, traz bons resultados e ao mesmo tempo alguns desafios que podem comprometer o sucesso da empresa.

À medida que o mercado varejista tem investido fortemente no marketing omnichannel, novas tecnologias para personalizar a experiência de compra estão sendo implantadas online e offline.

Os varejistas têm buscado essa customização com o intuito de  personalizar a experiência de compra e assim aumentar as vendas e influenciar o comportamento do consumidor. Em uma pesquisa realizada pela Infosys,86% dos consumidores disseram que a customização tem pelo menos algum impacto no que consomem.

Pagamentos instantâneos (PIX)

Com o lançamento do PIX, serviço de pagamentos instantâneos do Banco Central, o Brasil começa a trabalhar com o serviço que já é realidade em muitos países.

A proposta do Pix é ser um meio de pagamento mais seguro, competitivo e rápido. Algumas de  suas várias funcionalidades são transferências e pagamentos em até dez segundos. Ainda podendo acontecer 24 horas por dia, em todos os dias do ano, inclusive nos finais de semana e feriados.

O Pix também permite fazer transferências utilizando apenas o celular ou CPF do destinatário, eliminando a necessidade de digitar todos os dados da conta. Com ele, também será possível efetuar pagamentos em tempo real a lojas, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

Em resumo, todas essas vantagens têm contribuído para diminuir a  resistência das pessoas que ainda tinham certo receio de efetuar pagamentos em uma loja virtual por medo de fraudes. Isso significa dizer que com o tempo, o boleto não será mais utilizado e, ao mesmo tempo, isso traz grandes vantagens para consumidores e varejistas. 

E-commerce

Segundo uma pesquisa realizada pela empresa DHL o e-commerce deverá crescer 22% até 2021, em toda a América Latina. De acordo com o estudo, o Brasil tem uma expectativa de crescimento de 17%, ficando atrás apenas do México, com 25%.

Afinal, se em 2020 o e-commerce já foi uma saída para muitas empresas conseguirem manter o seu negócio, em 2021 ele será indispensável. Investir em  uma plataforma de e-commerce que otimize as vendas e que atenda as necessidades dos clientes será mais do que uma tendência para o varejo, será fundamental para as vendas. Da mesma forma, a chave para fazer negócios na internet é saber como se posicionar nos sites de busca (como o Google). Empresas bem posicionadas nos buscadores são mais facilmente encontradas nas pesquisas e consequentemente seus sites são mais visitados.

Shop streaming

O shop streaming conta com a tecnologia de transmissão ao vivo para realizar as vendas. Desta forma, é possível apresentar vitrines e detalhes dos produtos oferecidos como embalagens.

O live shopping é como um vídeo gravado, porém, a diferença é que o shop streaming permite uma interação ao vivo com o público, o que pode gerar mais engajamento e oferecer mais veracidade e humanização para a marca ou empresa.

Muitas empresas já estão utilizando essa tecnologia quando querem chamar a atenção do consumidor para algo específico. Por exemplo um evento de lançamento, promoções ou datas comemorativas.

Com certeza você vai ouvir falar muito destes termos em 2021. A tecnologia, a inovação  e a experiência do consumidor serão as grandes tendências no varejo brasileiro. Sua empresa está preparada para acompanhar essas tendências e se tornar ainda mais lucrativa?

Por fim, para conferir outros conteúdos como este e muito mais, acompanhe nosso blog e nossas redes sociais.

Postado em DicasEmpreendedorismoNégocios